Barroso

“Mais um, para vocês. Este, admito, tem mais fatos que ficção, mas a linha, como sempre, é tênue.” – (O Não Autor)^(-1)

Quão baixo iria alguém para estabelecer uma imagem de superioridade, mesmo que tais atos levassem ao ridículo da admissão pública de pequenas verdades constrangedoras, porém cômicas? Todos têm, é claro, seus limites, mas os de algumas pessoas, em especial de uma certa moça espalhafatosa de voz estridente, beiravam ao grotesco.

Esta mesma, cujo nome não é do interesse de ninguém, em certa feita estava reunida com algumas amigas num lugar público, estando acompanhada de sua mãe, e tagarelava com as outras sobre frivolidades usuais que afloram após um almoço farto, num volume que passara de comparável a um burburinho baixo, alcançando algo semelhante à algazarra de uma revoada de araras.

Continue reading “Barroso”